sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

LIBERDADE

Liberdade - Isa (09-02-09)
Todos nós construímos prisões usando como grades invisíveis a exigência excessiva, a autopunição, o desespero. Muitos pensam que a sua prisão é um chefe insensato, um concurso competitivo, doenças físicas, crises financeiras. Mas as nossas verdadeiras prisões estão alojadas na psique. Se formos LIVRES por dentro, nada nos aprisionará por fora.
Augusto Cury

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

"FILOSOFANDO"

Mais um pouco de poesia de F. Pessoa:

Não sei se a vida é pouco ou demais para mim.
Não sei se sinto de mais ou de menos, não sei se me falta escrúpulo espiritual, ponto de apoio na inteligência.
Consaguinidade com o mistério das coisas, choque aos contatos, sangue sob golpes, estremeção aos ruidos, ou se há outra significação para isto mais cômoda e feliz..

Seja o que for, era melhor não ter nascido, porque, a vida de tão interessante que é a todos os momentos.
A vida chega a doer, a enjoar, a cortar, a roçar, a ranger, a dar vontade de dar gritos, de dar pulos, de cair para o chão, de sair para fora de todas as casas, de todas as lógicas e de todas as sacadas.

E ir ser selvagem para a morte entre árvores e esquecimentos.
Entre tombos e perigos e ausencia de amanhãs.
E tudo isto devia ser qualquer outra coisa mais parecida com o que eu penso.
Com o que eu penso ou sinto, que eu nem sei qual é, ó vida (...)

Fernando Pessoa ( Alvaro de Campo) - no poema "a passagem das horas"


Para quem não conhece, esta parte do poema de F. P. é cantado por Maria Bethânia, cuja faixa tem precisamente o mesmo nome : passagem das horas.
Para quem gosta da M. Bethânia, vale a pena ouvir com todos os sentidos. Isto é : saborear, cheirar .... enfim,: SENTIR.